Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Samantha Em Chamas

Fogos e desafogos de uma viajante arco-íris que arde pelo mundo.

Sequestro mental

Sempre fui de natureza muito solitária e selectiva mas já há uns tempos que percebi que ultrapassei a fronteira entre traço de personalidade e um grande problema com graves consequências. Apercebi-me recentemente da importância de ter pessoas na minha vida. E vejo-me todos os dias à rasca para fazer isso acontecer.

 

Chego aos 26 anos e o único pensamento constante que tenho, por muito infantil que pareça, é "Eu preciso de amizades". E de círculos sociais também, mas o que preciso mesmo é de conexões emocionais e importantes que me façam dar algum sentido à vida. Parece que estou pela primeira vez no mundo, só que não sou nenhuma criança, já estou crescida mas estou completamente desalinhada com a teia de relacionamentos da qual toda a gente, de uma forma ou de outra, faz parte.

 

Os últimos dias têm sido estranhos. Não de uma forma totalmente negativa, embora tenha lidado com muitos demónios de uma vez. Mas surgiu a rara oportunidade de eu falar disto com alguém e alguns abanos que me tiraram da apatia mental e emocional. Mais do que nunca sei que preciso de ajuda especializada mas não sei onde a encontrar a preços acessíveis. Mas hoje consegui respirar de forma diferente: não de um alívio total mas como se alguém me tivesse tirado o saco da cabeça. Continuo com as mãos atadas mas já consigo ver algumas coisas. Só que tenho medo que o saco volte para a minha cabeça porque não deixo de estar sequestrada e não sei como pagar o resgate. Então vou tentando desatar os nós como posso. E nem sempre consigo.

11 comentários

Comentar post