Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Samantha Em Chamas

Fogos e desafogos de uma viajante arco-íris que arde pelo mundo.

Hoje não acordei sozinha

E assim que abri a janela lá estava esta miniatura fofa e adorável no parapeito!

IMG_1438.JPG

E desengonçado e com a pressa de fugir a um barulho repentino que, sem querer, eu fiz, caiu da janela. 

Coitadinho. Um exemplar animal de todas as pessoas que passam na minha vida. Ups. 

 

(E anda aqui uma pessoa a arder em dúvidas acerca do seu valor nestes dias mais tristes mas afinal até consegue realizar alguns feitos importantes e interessantes com a sua criatividade. Acho que afinal nada está perdido. Deve ser este o poder das boas vibrações...)

Afinal não fui a um bar, fui mesmo a um consultório

No complexo universo das bactérias da alma, regresso com fotos e emoções. Sinto que estou em processo de queijo, deixando as bactérias alimentarem-se de mim num ambiente controlado de forma a adquirir a textura e sabores ideais, únicos e dignos da minha complexidade. É um processo complicado, nem sempre bonito e nem sempre cheira bem, nem sempre é iluminado e nem sempre é saboroso mas, na imprevisibilidade do que sou e posso vir a ser, tenho a certeza de uma coisa: sou um queijo em processo de cura (e, cá entre nós, à espera de ser apreciada e devorada, que queijo é bom e eu também! *pausa para risos, afaguem-me a auto-estima*).

 

Mas também posso ser o musgo que cresce na pedra.... e às vezes nas árvores.

IMG_20180527_190320_673.jpg

 (foto tirada em Galway, na Irlanda, em Outubro de 2017)

Ou o barco que me leva para fora daqui, que me dá transporte e ao mesmo tempo abrigo no mar da vida.

IMG_20180526_181747_644.jpg

 (Foto tirada na Serra da Arrábida há uns dias)

Posso ser isso tudo. 

Posso ser conversas, conclusões e cervejas.

Afinal ir a um bar ou a um consultório é algo que me sabe bem.

Só queria que servissem queijo em ambos os lugares também...

Espelho meu, espelho meu, que será de mim se eu não for eu?

Entre demasias e insuficiências e as palavras que mercúrio não me deixa pronunciar em condições nos últimos dias, o que me vale é que já me consigo olhar de novo ao espelho, sem vergonhas do que sou ou do que sinto. E não há nada que valha mais do que isso, ainda que a alma se canse.

CYMERA_20180413_231851.jpg

CYMERA_20180416_211424.jpg

 

20180221_122742.jpg